Os pedidos de falência entre as empresas brasileiras aumentaram 12,9% em março, na comparação com fevereiro.

De acordo com os dados da Boa Vista Serviços, a variação contra o mesmo mês de 2012 foi de queda de 2,1%.


Entre as falências decretadas, o índice recuou 9,0% na comparação com fevereiro e acumula alta de 13,5% no primeiro trimestre de 2013, contra o mesmo período do ano passado. Os pedidos de recuperação judicial apresentam contração no acumulado do ano de 1,6%, enquanto que os deferimentos de recuperação judicial cresceram 46,7% no mesmo período.


O estudo aponta crescimento em quase todos os indicadores de insolvência das empresas. O ritmo de crescimento, no entanto, vem diminuindo. A esperada recuperação da atividade econômica e a expectativa de queda na inadimplência de empresas e consumidores devem favorecer a melhoria da situação financeira das empresas ao longo do ano.


Portes e setores

As MPEs (micro e pequenas empresas) foram maioria nos pedidos de falência e recuperações judiciais. Entre os pedidos de falência, elas representaram 88% e 92% das decretadas. Já os pedidos de recuperação judicial, 91% foram de MPEs e, entre recuperações decretadas, apenas 14% foram de médias e grandes empresas.


Já na divisão por setor da economia, durante o primeiro trimestre de 2013, a indústria contribuiu para o maior número nos pedidos de falência, com 38% dos casos, seguida dos serviços (37%) e do comércio (25%)